domingo, 25 de outubro de 2009

Lançamento Obliquo de Flavio Cunha

Programa de Formação Continuada Mídias em Educação
3ª Edição
Aluno: Wagner Fonseca Barros

ATIVIDADE:
Descrição das ações que ocorrem no vídeo Lançamento Oblíquo de Flávio Cunha postado no You Tube em 23 de maio de 2007.
Sinopse: exposição dos princípios físicos e matemáticos do lançamento oblíquo, a partir de um experimento real.
Disponível em URL: http://www.youtube.com/watch?v=SVF3PvrHlqc


Roteiro do Vídeo:
APRESENTAÇÃO
O vídeo inicia por meio de recurso computacional audiovisual com a expressão ‘Prof. Flávio apresenta... ’. Tal expressão é mostrada com letras de tamanho grande e claras contrastando com um fundo negro, posicionadas ao meio da tela.
Em seqüência, surge a expressão Lançamento Horizontal, com letras maiores que a expressão anterior, simultaneamente a um fundo musical que é contínuo até o final do vídeo. A expressão Você deve se lembrar do lançamento horizontal surge, em mesmo formato que a primeira expressão, com destaque em cores vermelhas para as palavras lançamento horizontal.
Após essa apresentação inicia-se a seqüencia de experimentação.

1 – AMBIENTE DA DEMONSTRAÇÃO EXPERIMENTAL / INT / INDEFINIDO

LANÇAMENTO HORIZONTAL

A câmera com visão frontal é posicionada em cima de uma mesa branca mostra o tampo encostado em uma parede revestida com azulejos brancos. Esta parede é recoberta por cartolinas de cor verde claro. Ao lodo esquerdo superior da imagem aparece parte do lado esquerdo de um banco. Em cima deste aparece, também, parte do aparelho de lançamento horizontal. Este se encontra estendido por cima da mesa, paralelamente a mesma, não chegando até a sua metade.
O professor executa o experimento no aparelho com auxílio de uma das mãos. Duas bolas escuras são lançadas - e são usadas em todos os experimentos do vídeo -, uma delas cai na mesa e outra se desloca no ar da esquerda para direita.
O experimento é ilustrativo a expressão anterior Você deve se lembrar do lançamento horizontal, de forma que o mesmo tem a função de retomar o que foi tratado pelo professor em classe. Nesse sentido, após o experimento, em seqüência, surgem frases, letras amarelas em fundo branco, que remetem a relações conceituais reforçadas pelo experimento.

Neste tipo de movimento, o tempo de queda é o mesmo que se o objeto fosse simplesmente solto, pois o movimento vertical é independente do movimento horizontal.


Nas frases que estruturam estas relações o professor faz um destaque em cor vermelha na frase: pois o movimento vertical é independente do movimento horizontal chamando atenção para a independência entre os movimentos. Esse tipo de formatação das letras em cor amarela com destaque em vermelho é comum em todo o vídeo. São letreiros indicativos de mensagens contendo chamadas de atenção ou relações conceituais relativas às imagens mostradas.
O experimento do professor é repetido em câmera lenta e outras frases surgem em letreiro estruturando conceituações:

Veja que os vetores da
velocidade vertical
aumentam igualmente no
tempo, e que o vetor da
velocidade horizontal
é constante:


Para demonstrar a assertiva acima o professor repete novamente a seqüências de imagens do experimento, em câmera lenta, no entanto, com incremento de recursos gráficos computacionais que acompanham as trajetórias das duas bolas. Uma seta indica a trajetória de queda de uma das bolas. Três setas indicam três trajetórias da bola que é lançada: uma da direita para esquerda, uma de cima para baixo e outra em diagonal de cima para baixo e da esquerda para direita.
Após essa seqüência de imagens e incremento gráfico surge o letreiro:

Veja ainda que a bolinha
lançada percorre, em
tempos iguais, distâncias
horizontais iguais mas
distâncias verticais cada
vez maiores:

Encerrando esse assunto o professor repete pela quarta, e última, vez o experimento fazendo outro incremento relativo às trajetórias das bolas lançadas. Além das setas indicando trajetórias são incluídos eixos verticais e horizontais, em cor azul e verde respectivamente, os quais indicam distâncias comparativas relativas ao tempo nas trajetórias das bolas em cada lançamento.

LANÇAMENTO OBLÍQUO

O professor abre outra seção com novo assunto usando a mensagem ‘Agora veja este lançamento OBLÍQUO’. Após essa mensagem o professor usa uma seqüência de imagens no local do experimento anterior e com o mesmo foco da câmera. Tal seqüência compreende duas situações simultâneas, uma em que o professor aparece lançando uma bola do lado esquerdo ao lado direito da mesa, de forma que a trajetória da bola forma uma parábola; ao mesmo tempo surge uma bola no centro da mesa que é deslocada do tampo para cima até, aproximadamente, o ápice da parábola da bola lançada pelo professor. Os deslocamentos das bolas ocorrem ao mesmo tempo.
Após essa seqüência surge um letreiro:

Observe que o
movimento vertical do
lançamento oblíquo é
igual ao do lançamento
vertical, pois
independe do
lançamento horizontal.

O experimento é repetido e surge o seguinte letreiro:

Veja novamente que o
movimento vertical da
bolinha lançada para
cima e da bolinha
lançada obliquamente
são iguais:


O experimento se repete pela segunda vez, mas em câmera lenta, e acompanhado por recurso computacional gráfico. Este recurso mostra um eixo horizontal de cor verde que acompanha o movimento da bola de cima para baixo.
Logo depois surge o letreiro com a seguinte mensagem:

Agora veja que o
vetor da
velocidade vertical
de ambas as bolinhas
variam de maneira
igual no tempo:


O experimento se repete incrementado por recursos computacionais gráficos em que duas setas acompanham as bolas em suas subidas. Logo a seguir surge o letreiro.

Note também como as
posições verticais
variam no decorrer do
tempo.

O experimento é repedido agregando outros incrementos. Um é o eixo horizontal que acompanha a subida e descida da bola a partir tampo da mesa ao ápice do deslocamento. Sobre o mesmo aparece à expressão “Movimento Vertical”. Outro é uma linha azul evidenciando a trajetória em parábola da segunda bola. Quatros outros eixos horizontais, em cor verde, surgem indicando o rastro de descida do primeiro eixo. Sob o último aparece em verde a expressão “Posição Vertical”.
Na frente de todo o incremento surge o letreiro:

Enquanto o movimento vertical é acelerado,
sendo a posição vertical calculada por:

SY = SOY + VOY.t + a.t2/2 e a velocidade vertical por
V = V0 + a.t
VY2 = VOY2 + 2.a.dy

Outro letreiro surge:

Agora veja que o vetor da
velocidade horizontal
do objeto lançado é
constante...

O experimento é repetido incrementado com uma seta amarela horizontal que segue o lançamento oblíquo. Após essa seqüência surge o letreiro.

Sabe-se disso por que o
objeto lançado percorre
distâncias horizontais
iguais em tempos iguais, veja:


O experimento se repete e a seta amarela horizontal aparece seguindo a trajetória da bola em lançamento oblíquo, porém deixando rastros. Eixos verticais, em cor verde, são evidenciados em número de seis e limitam as cinco setas amarelas de rastros que representam a trajetória do movimento horizontal.
Ao meio da mesa e logo abaixo do experimento surge a expressão “Posições Horizontais”. Logo depois, na mesma composição de imagem surge, em destaque, retângulo gráfico coma o letreiro:

O movimento horizontal é uniforme, então,
a posição horizontal é calculada por:
SX = SX. t

Outro surge o letreiro surge:

Vamos ver agora os dois
vetores juntos:
O vertical e o horizontal


O experimento se repete e duas setas acompanham as trajetórias das bolas. Uma seta vertical, apontando de baixo para cima e, uma seta horizontal da esquerda para direita. As duas formam um ângulo de noventa graus. Em seguida aparece o seguinte letreiro:
Vamos ver agora o
vetor-total dos
movimentos...

O experimento com o incremento anterior se repete, no entanto, apresentando uma seta diagonal em cor vermelhas que surge a partir do ângulo formado pelas setas.
Logo depois surge o letreiro:

Observe que em qualquer tempo,
você pode usar trigonometria
(Pitágoras, seno, cosseno) para
calcular o vetor total das suas
componentes (a velocidade vertical e horizontal).
v2 = vy2 + vx2
vy = v.sen.alfa
vx = v.cos.alfa

Para finalizar o vídeo o professor sugere:

Agora Exercite:
Se a altura máxima da
bolinha laranja com ângulo
de 60º foi de 0,5m, calcule:
1- O tempo de subida;
2- O tempo no ar;
3- A velocidade vertical inicial;
4- A velocidade horizontal;
5- O alcance máximo da bolinha
(início e fim na mesma altura, a mesa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário